“Deus” no primeiro debate entre os presidenciáveis

“Deus” no primeiro debate entre os presidenciáveis
10 de agosto de 2018 Nelson Lellis

“Deus” no primeiro debate entre os presidenciáveis

por Nelson Lellis 

Desde 1994, a Band tem a tradição de realizar o primeiro debate entre os presidenciáveis no Brasil. Neste ano de 2018, o encontro ocorreu em 09 de agosto, numa quinta-feira, reunindo mais de três horas de debate. Participaram os seguintes candidatos: Álvaro Dias (PODE), Cabo Daciolo (PATRIOTA), Geraldo Alckmin (PSDB), Marina Silva (REDE), Jair Bolsonaro (PSL), Guilherme Boulos (PSOL), Henrique Meirelles (MDB) e Ciro Gomes (PDT). Ricardo Boechat, mediador do programa, disse que o grupo Bandeirantes enviou o convite ao ex-presidente Lula (PT) e justificou a ausência do mesmo por estar impedido pela justiça.

Um debate que começou com falas mais duras como as de Daciolo, Boulos e, posteriormente, Bolsonaro. Não se percebeu muito a polarização direita/esquerda. O momento tornou-se muito mais uma propaganda do que uma exposição de ideias e programas. Todos, de algumas forma, ficaram marcados com frases de efeito ou expressões repetidas ao longo de suas participações, como por exemplo: Álvaro Dias: “Abra o olho, brasileiro”. Cabo Daciolo: “Para honra e glória do Senhor Jesus”. Geraldo Alckmin: solucionar os problemas do país no primeiro ano. Marina Silva: repetia as perguntas afirmando os problemas, mas sem apresentar saídas. Jair Bolsonaro: devolvia as perguntas aos candidatos sem antes respondê-las. Guilherme Boulos: “50 tons de Temer”. Henrique Meirelles: “Falta a informação básica ao candidato”. Ciro Gomes: “A democracia é uma delícia”.

É claro que a lista mostra-se injusta diante de outros comentários consistentes que foram feitos. Houve um fator importante neste programa: a citação do nome de Deus. Daciolo, Marina e Bolsonaro citaram-no já no primeiro bloco. No último bloco, “Deus” aparece nas considerações finais de Daciolo, Ciro, Bolsonaro, Álvaro Dias e Alckmin. Ou seja, dos 8 candidatos, apenas Boulos e Meirelles não fizeram menção.

Daciolo e Bolsonaro foram os que mais destacaram “Deus” em suas falas. Os dados do Google Trands apontaram que antes do debate, Bolsonaro monopolizava as buscas no google num total de 70%. Ao término, caiu para 25%. Daciolo iniciou com 1% e subiu para 22%. Já no mundo do tuíter, Daciolo teve mais de 210 mil menções (contando com os chamados memes). A curiosidade é que ele, numa pesquisa da agência FSB (Francisco Soares Brandão), foi considerado no mês de junho a pessoa de maior influência digital. Após o debate teve um acréscimo de cerca de 5 mil seguidores em uma de suas páginas no face. Hoje já são mais de 200 mil.

A retórica do cabo Daciolo no debate não foi nenhuma novidade para quem o acompanha. Todas as suas performances e declarações podem ser facilmente identificadas quando postas ao lado de sua trajetória religiosa e profissional. E isso, desde 2011, quando iniciou sua aparição na greve dos bombeiros do estado do Rio de Janeiro e de policiais militares, na Bahia. Em relação aos seus discursos em plenária, constantemente faz leituras bíblicas, julgamentos religiosos e profecias.

A cadência pentecostal e militar estão em seu discurso e também pode ser vista em seus movimentos corporais. É filho da Assembleia de Deus (embora não seja membro de nenhuma denominação) e conviveu com militares desde sua infância. Dois dias antes do debate na Band, Daciolo foi a um monte jejuar e orar. Em sua interpretação, preparariam uma cilada para ele. Estes são códigos teológicos: monte é o ambiente sacralizado pela tradição judaico-cristã, onde ocorre a revelação de Deus e a proximidade com o que há de mais sagrado; cilada é o que se pode referir ao texto do salmo 31,4, “Livra-me da cilada que me armaram”. Trata-se de uma “cilada espiritual” no caso deste candidato, uma vez que existem poderes que precisam ser derrubados: Nova Ordem Mundial / Illuminati / Maçonaria. E durante o debate, no terceiro bloco, pergunta ao candidato Ciro sobre a URSAL (União das Repúblicas Socialistas da América Latina)… este simplesmente respondeu que não sabe nada a respeito.

Em relação ao debate, veremos, sumariamente, como Dacio se portou nos 5 blocos.

BlocoExpressões religiosas utilizadasOcasião
1“Glória a Deus, glória a Deus”; “Você tem direito ao trabalho e eu vou te dar o trabalho para honra e glória do Senhor Jesus”.Questão sobre o desemprego sugerida pelo Jornal Metro
2“O grande problema que a nação está enfrentando é a falta de amor ao próximo”.Pergunta da jornalista Lana Cenepa para Álvaro Dias com comentário de Daciolo sobre violência doméstica e feminicídio.
2“… nós vamos pegar eles (políticos corruptos) para honra e glória do Senhor Jesus)”.Pergunta do jornalista Sérgio Amaral sobre educação, aumento de ferrovias e déficit fiscal.
3“Está chegando o momento do crescimento […] momento da prosperidade, está chegando o momento de nós clamarmos a Deus, aquele que vai dar a vitória pra nossa nação, em nome do Senhor Jesus. […] Fé, esperança e amor… vamos transformar nossa nação”.Pergunta do candidato Bolsonaro sobre divisão de ministérios.
3“Ciro, o senhor é um dos fundadores do foro de São Paulo […] O que o senhor pode falar pra nação brasileira sobre o Plano URSAL?”; “Quero deixar bem claro que no nosso governo o comunismo não vai ter vez”; “Nossa economia ficará em primeiro para honra e glória de nosso Senhor Jesus Cristo”.Pergunta feita ao candidato Ciro e sua réplica.
4“… vamos oxigenar o nosso país e empregar para honra e glória do Senhor Jesus”.Resposta ao jornalista Fábio Pannunzio sobre as greves em que participou e como reagiria a novas greves.
5“Glória a Deus. Eu agradeço a Deus essa oportunidade”; “Eu sou o cabo Daciolo, servo do Deus vivo”; “Quero deixar uma mensagem aqui para os ateus, para os cristãos de forma geral… o espírita, a umbanda, o católico, o evangélico… vamos levar a nação a clamar ao Senhor […] E a mensagem que eu deixo aqui para concluir está no livro de Jeremias, cap. 29, verso 11, que diz: ‘Porque sou eu que conheço os planos que tenho para vocês, nação brasileira, diz o Senhor. Planos de fazê-los prosperar e não de lhes causar dano. Plano de dar-lhes esperança e um futuro. Então vocês clamarão a mim, virão orar a mim e eu os ouvirei. Vocês me procurarão e me acharão quando me procurarem de todo o coração. E eu me deixarei ser encontrado por vocês, nação brasileira, assim diz o Senhor’. Glória a Deus”; “Servimos a um Deus vivo e vamos transformar a colônia brasileira em nação brasileira. Glória a Deus”.Considerações finais

Em apenas 2 falas o cabo Daciolo não faz nenhuma menção a Deus ou alguma indicação de expressão ligada à bíblia. Onde queremos chegar com isso? Uma das reclamações que o candidato faz é que seu nome não aparece nas pesquisas eleitorais. Mesmo assim, Daciolo tem um público que merece ser observado. Trata-se, em sua maioria, de seguidores que o consideram profeta da nação e voz de Deus no parlamento. Ele se desligou da Frente Parlamentar Evangélica no primeiro ano de seu mandato como deputado federal e registrou várias críticas aos membros dessa bancada. Sua conduta preza a ideia moral religiosa e faz questão de divulgar seus feitos e interpretações políticas (tendo a fé como base) como exemplo. A própria candidatura à presidência da república se deu por meio de profecia de uma pastora evangélica. Portanto, Daciolo não fala ao vazio e suas ideias religiosas que buscam legitimar suas decisões políticas ecoam não só pelas igrejas evangélicas, mas agradam também a um público religioso diversificado.

As pesquisas não dão esperanças para o cabo Daciolo, todavia é sempre bom lembrar que o brasileiro já demonstrou em eleições passadas (embora não para presidência) o chamado “voto de protesto”. Ainda que Daciolo não vença, sua luta encontrou espaço no PATRIOTA, nas mídias sociais, entre alguns grupos de grevistas… e pode ser que haja um número expressivo dos que votarão nele a fim de desaguar nas urnas o voto de protesto. Enquanto isso, o cidadão e a cidadã, querendo ou não, testemunham a moldura religião/política, que vai ocupando mais espaços neste cenário tão cheio de incertezas.