O sangue das mulheres: o diálogo hindu-cristão

O sangue das mulheres: o diálogo hindu-cristão
6 de abril de 2019 Angelica Tostes

A mulher sangra. Todo mês. Toda semana. Todos os dias. Alguma mulher sangra. Esse sangue emana do seu corpo, dos seus orifícios, das suas lágrimas e suores. A mulher sangra em seu coração, que através das inúmeras exclusões sofre. A mulher sangra na cama – marca da santidade ou marca da promiscuidade. A mulher sangra parindo: parindo existências humanas, divinas e utópicas. A mulher sangra por não parir: sangue mensal da destruição e renovação ou sangue do aborto doloroso. A mulher sangra com a violência, racismo e controle . . .

Cadastre-se na Revista Senso e tenha acesso a conteúdos exclusivos!

CADASTRAR