Now Reading
Religião e educação: desafios e superações na Educação Inclusiva

Religião e educação: desafios e superações na Educação Inclusiva

A Religião e a Educação se encontram no ambiente escolar. Contemplando uma diversidade não só religiosa, mas, de especificidades dos estudantes, cada um com a sua realidade e vivência agrega enriquecimento social.

Em particular neste texto, o olhar será a realidade dos desafios encontrados para a “verdadeira inclusão” social. Não basta o estudante estar matriculado na Unidade Escolar. É preciso superar os desafios. Desafios do dia a dia como: a comunicação, o papel de emitir e receber informações e o mais importante serem compreendidos. Mas, cada estudante e suas especificidades trazem a sua realidade, tal qual, a surdez, a baixa visão, a cegueira, as limitações físicas, as várias síndromes e um conjunto de realidades.

A inclusão, porém, está no além do aprender: inclusão é ser feliz. É colocar sentido da vida em prática, é se expressar em sua espiritualidade, é respeitar e ser respeitado em sua escolha religiosa, no ambiente escolar e familiar. É buscar, encontrar e ressignificar sentidos e percebê-los no cotidiano.

A autora vem relatar a experiência vivida desde 2018, como intérprete de Língua Brasileira de Sinais – Libras, na UMEF Governador Christiano Dias Lopes Filho, no município de Vila Velha/ES, na modalidade de Educação de Jovens e Adultos – EJA. A unidade escolar tem diversos educandos e três alunos que são pessoas surdas. Eles oportunizam a toda escola o aprendizado e constante testemunho de superação. São incríveis.

Observa-se a fé e a perseverança em suas atitudes. Após um dia todo de trabalho, à noite se encaminham para a sala de aula com o desejo de aprender. Mas o aprender além das escritas, o socializar na sala de aula se destaca em companhia de uma diversidade de realidades, compartilhando vivências, culturas e crenças.

A presença da alteridade é nítida, em especial daquele grupo de estudantes. Ao compartilhar o sentimento do tempo que passou em suas vidas e em sua maioria foi “negado” o direito à educação. Seja por terem residido, quando crianças zona rural, seja por necessidade de trabalhar para ajudar no sustento da família, seja por não serem compreendidos e deixados de lado. Mas, o tempo pode ser vivido em outras perspectivas pelo mesmo grupo no dia de hoje, e eles se alegram ao compartilharem o seu sentido da vida. Segundo Jacqueline Crepaldi Souza (2018, p. 73) “[…] é preciso olhar para além do ser. […] Esse acolhimento é expressão de alteridade”.

Muitas vezes, o tema religião torna-se recorrente no diálogo entre os estudantes. Entre eles ressaltam a fé, a esperança, o sentido da vida e a espiritualidade de cada um. Eles destacam-se por sua superação, mesmo que alguns não sejam “letrados”, se apegam aos desenhos para aplicar a literatura sagrada no seu espaço de cultuar o Transcendente. Assistem vídeos em Libras para replicar a mensagem no púlpito de seu lugar sagrado. O outro, busca no espaço sagrado, o profissional ou voluntário intérprete de Libras para a compreensão da palavra Sagrada. O outro estudante, vai e vem nos lugares com sua bicicleta amarrado a sua muleta de apoio, porque em um momento da vida precisou amputar uma das pernas. Mas, a diversidade física e espiritual não é abatida com os desafios diários.

Entretanto, a unidade escolar é um espaço que proporciona os estudantes ir além, através de projetos.

 “Ao participar de um projeto, o aluno está envolvido em uma experiência educativa em que o processo de construção de conhecimento está integrado às práticas vividas. Esse aluno deixa de ser, nessa perspectiva, apenas um aprendiz do conteúdo de uma área de conhecimento qualquer. É um ser humano que está desenvolvendo uma atividade complexa e que nesse processo está se apropriando, ao mesmo tempo, de um determinado objeto do conhecimento cultural e se formando como sujeito cultural” LEITE (1996, p. 32).

A pedagogia de projetos é uma ferramenta importante no ambiente escolar. Dentre os projetos executados na Unidade Escolar, destaca-se o Projeto Entre Versos e Rimas, promovido pela Secretaria Municipal de Educação junto com a Biblioteca. É um concurso de poesia, memória literária, crônica e desenhos de alunos e servidores da rede municipal de Vila Velha/ES, é um acontecimento aguardado pelos estudantes e servidores, com os frutos da participação, a publicação em um livro registrando a memória patrimonial do município, aos contemplados no concurso. Possibilitando também, espaços e olhares dos estudantes da religiosidade e a diversidade local através das aulas da disciplina de Ensino Religioso para apresentar dentro do concurso o “Clic da Diversidade Cultural e Religiosa”, que é parte integrante do projeto.

 leia também

Foto: Tostes, P.S.G.

No ano de 2019, dois dos alunos, pessoas surdas, da EJA, tiveram seus desenhos contemplados no Projetos Entre Versos e Rimas e outras Histórias V, Secretaria de Educação /PMVV (2019, p. 271), com o tema central “IdentidadES#EntreOMarEAMontanha”. Na cerimônia de lançamento do livro e da entrega dos prêmios, os estudantes e seus familiares participaram desse evento no Ginásio Esportivo Tartarugão, que foi um marco em suas vidas e de suas famílias de superação e fé. Tornam-se exemplos de vida, de superação de desafios e de aprendizagens conjuntas.

Enfim, a Religião e a Educação, se entrelaçam, mas também apresentam os seus desafios o que não impede as superações. Sabe-se que a realidade nem sempre é fácil, mas o que faz sentido na vida de cada um deles é propulsor a transcendência, encontram caminhos que ainda não foram percorridos. Isso acontece, independe se o indivíduo frequenta ou não uma religião, se ele tem ou não as melhores notas, o que importa é o seu Ser, o seu Sentido para viver, o que traz para compartilhar de bom com o seu meio social.


Referências

LEITE, Lúcia Helena Alvarez. Pedagogia de Projetos: intervenção no presente. Presença Pedagógica, Belo Horizonte: Dimensão, 1996.
PREFEITURA MUNICIPAL DE VILA VELHA. Entre versos, rimas e outras histórias V: Concurso de poesia, memória literária, crônica e desenho de alunos e servidores da Rede Municipal de Ensino de Vila Velha. / Prefeitura Municipal de Vila Velha – ES: Secretaria de Educação/ PMVV, 2019.
SOUZA, Jacqueline Crepaldi. Surdez e Alteridade: Expressões religiosas das crianças surdas. São Paulo. Fonte Editorial, 2018.