Espaço sagrado e fundamentalismo religioso

Espaço sagrado e fundamentalismo religioso
Dalvani Fernandes 15 de maio de 2020

Classificação: Ensino Fundamental II e Médio

Justificativa

O espaço é a esfera da possibilidade da existência da multiplicidade; é a esfera na qual distintas trajetórias coexistem; é a esfera da possibilidade da existência de mais de uma voz. Sem espaço não há multiplicidade; sem multiplicidade não há espaço. Se o espaço é indiscutivelmente produto de inter-relações, então isto deve implicar na existência da pluralidade. (MASSEY, p.08, 2004)

Ritual de gira. Trabalho interdisciplinar de Antropologia e Fotojornalismo realizado pelos alunos: Henrique Martorelli, Luiz Fernando Auricchio, Renato Bonfim, Lara Santos e Paula Lerrer (Foto: Catharina Obeid)

O espaço é uma categoria de análise central para compreendermos a diversidade em nossa sociedade. Uma vez existindo, precisamos de espaço. Para Massey, “o espaço é a esfera da possibilidade da existência da multiplicidade”. As diferentes religiões tem o potencial de produzir seus próprios espaços, que podem ser considerados como manifestações do espaço sagrado[1].

Uma das maneiras de interpretar o espaço sagrado é compreendendo que aquilo que é sagrado emana da consciência daquele que acredita e cultua determinada religião. Isso significa que podemos olhar para o sagrado como uma categoria epistemológica, isto é, o sujeito determina o que é sagrado pra ele/ela partindo da sua própria experiência. Pensando assim, temos infinitas possibilidades de produção de diversos lugares sagrados. Essa diversidade de expressões religiosas na sociedade contemporânea marca nosso tempo-espaço com a beleza da pluralidade, e também, com os desafios impostos pela intolerância e fundamentalismos.

Construir um mundo mais humano e receptivo a liberdade de expressão, liberdade de culto, liberdade de pensamento é uma tarefa coletiva. Por essa razão entendemos o espaço como produto de inter-relações, portanto, deve existir a diversidade. O que inclui como pressuposto a diversidade religiosa.

Com o processo de globalização o contato entre as religiões vem ascendendo, resulta dessa dinâmica um aumento da consciência no que diz respeito as semelhanças e diferenças entre as distintas comunidades religiosas. Fruto dessas interações resulta o reforço das diferenças e animosidades entre o que é considerado dessemelhante, superar essa questão é contribuir para o desenvolvimento daquilo que chamamos civilização. Precisamos nos questionar sobre o que temos em comum, para isso, é necessário um olhar atento procurando conhecer a realidade do outro. “A força da alienação vem dessa fragilidade dos indivíduos, quando apenas conseguem identificar o que os separa e não o que os une”. (SANTOS, 2000, p. 17)

Objetivos

  • Discutir os efeitos do fundamentalismo religioso;
  • Promover debate sobre diversidade religiosa;
  • Incentivar estudantes a visitarem diferentes espaços sagrados, como atividade de pesquisa;
  • Conhecer uma religião diferente da sua.

Conteúdo

  • Espaço Sagrado;
  • Conviver com as diferenças;
  • Fundamentalismo Religioso;
  • Diversidade étnica e religiosa;
  • Reflexão sobre preconceito e discriminação.

Materiais

Projetor multimídia ou imagens impressas ou de revista ilustrando diferentes espaços de culto religioso. Charges sobre fundamentalismo religioso. Textos que falem sobre espaço sagrado em diferentes concepções religiosas (sugerimos usar textos da revista Senso).

Metodologia

Iniciar o debate com os estudantes provocando reflexão sobre os efeitos da globalização na sociedade contemporânea. Sugerimos a seguinte imagem para esse debate.

O mundo parece menor dado a infinidade de técnicas as quais fazemos uso. Os meios de transporte e comunicação abriram a possibilidade de convivermos cada vez mais próximos com o diferente.

Quem é esse diferente? Como percebemos as diferentes religiões no espaço?

Iniciar o debate com essas questões. Sugerimos fazer uma roda de conversa na sala de aula. Para incentivar a conversa pode-se utilizar de imagens que mostrem a diversidade religiosa no mundo. Trabalhando com escala conduza a aula de modo que chegue a diversidade religiosa no Brasil. Pergunte ao alunos quais religiões eles conhecem, qual religião é tipicamente brasileira, qual a origem das religiões que aqui estão. O objetivo é fazê-los pensar sobre a grande mistura de diferentes culturas que resulta nas manifestações religiosas no Brasil. Conduza a aula e chegue na sua cidade, pergunte aos alunos quais religiões conhecem na cidade, como ficaram sabendo sobre elas, peça pra falarem sobre isso. O objetivo é reconhecer a diversidade religiosa no lugar onde vivem. Utilizar imagens de espaço religiosos locais ajuda nessa fase da conversa.

Segundo Momento: Problematizando

Após essa roda de conversa inicial, que deve durar entre 15 a 30 minutos, propomos problematizar algumas questões. Charges são bem vindas nessa etapa.

Créditos: Autor

A ideia aqui é pensar em conjunto com os estudantes sobre os efeitos de impor a sua verdade religiosa aos outros. Pra entendermos como isso é complicado faça a pergunta: o que é o sagrado pra você? Aguarde eles responderem. A dificuldade em explicar/compreender o sagrado deve ser explorada. A ideia do sagrado está intimamente conectada ao mistério, daí termos infinitas possibilidades de representação do sagrado. Utilizando de imagens de lugares de culto religioso (Terreiros de Candomblé e Umbanda, Igrejas Católicas, Templos Evangélicos, Sinagogas Judaicas, Mesquitas Muçulmanas entre outros) solicite aos estudantes analisarem as imagens e perceberem como o espaço sagrado pode se manifestar de distintas formas nas paisagens, no mundo material.

Problematize para o debate: o que parece ser mais interessante, uma sociedade aberta e plural as várias manifestações do sagrado ou uma única e exclusiva verdade absoluta sobre o mistério que envolve o sagrado?

Créditos: O Autor

Terceiro Momento: fundamentalismo religioso

Para esse debate recomendamos que se faça, na roda de conversa, uma leitura conjunta do texto: “O zelo destrutivo: extremismo religioso entre fatos, razões e impasses”.

A partir do texto supracitado, solicite à turma que se organize em dois grupos. O primeiro deverá elaborar uma reflexão (cartaz, desenho, paródia, música, poesia, vídeo, ou outro modo de expressão) sobre o tema fundamentalismo religioso. O segundo grupo fará a mesma coisa com o tema diversidade religiosa. O/a professor/a poderá utilizar os textos da revista Senso para distribuir entre os/as estudantes com o objetivo de terem mais material de apoio.

Finalizando o Projeto

A ideia é dar uma semana para os estudantes pensarem/refletirem sobre o que poderão apresentar. Na semana seguinte o/a professor/a organiza as apresentações e finaliza passando um documentário curtinho, chamado “Intolerância Religiosa – Senac Lapa Tito”, que pode ser acessado no link: https://www.youtube.com/watch?v=rDCHA2dhIc4

REFERÊNCIAS

MASSEY, D. Filosofia e política da espacialidade: Algumas considerações. In: GEOgraphia, ano 6, n°12, 2004. p.7-23.

SANTOS, M. O espaço do Cidadão. 5 ed. [1ed.1987]. São Paulo: Nobel, 2000.


Notas
[1] Sobre a complexidade da ideia de “espaço sagrado” recomendamos a leitura dos textos de Gil Filho e Pereira, presentes nesse dossiê.
Inscreva-se na newsletter da Revista Senso e receba as novidades exclusivas em seu e-mail!