SEJA ASSINANTE APOIADOR(A)

SEJA ASSINANTE APOIADOR(A)

Apoie a produção de conteúdo gratuito

Racismo Religioso

Racismo Religioso
19 de março de 2020 Cassiana Matos de Moura
Foto: Robson Khalaf

PLANO DE AULA

Classificação: Ensino Fundamental II: 6º ano

Abordar temas associados à diversidade e a desconstrução de conceitos pré-estabelecidos via senso comum tem sido cada dia mais difícil em muitas escolas. O movimento conservador tem como centro o extermínio das diferenças em todas as instâncias da vida em sociedade.

Para se adquirir conhecimento é necessário da zona de conforto e ir além do que se conhece. O ensino religioso nos ajuda e muito nisso. E tratar de maneira concisa assuntos que permeiam o tabu, o senso comum e apenas propaga nuances do racismo em nossa sociedade se faz urgente.

A abordagem aqui proposta é multidisciplinar e está alinhada às habilidades propostas na BNCC de Ensino Religioso

Para o 6º ano :

(EF06ER06) Reconhecer a importância dos mitos, ritos, símbolos e textos na estruturação das diferentes crenças, tradições e movimentos religiosos.

Para o 7º ano

(EF07ER08) Reconhecer o direito à liberdade de consciência, crença ou convicção, questionando concepções e práticas sociais que a violam.

Justificativa

O conhecimento advindo do senso comum possui um valor relevante na nossa construção do conhecimento. Muitas vezes ele, o senso comum, limita a nossa sede por saber melhor e questionar o que nos é ofertado, como verdade absoluta. As informações que se tem no senso comum no que diz respeito às religiões de matriz africana e indígenas são, de um modo geral, demonizadas. Aceitamos (nós, a sociedade), melhor o que é esCLARECIDO, branco, alvo. Nos parece mais puro, mais verdadeiro. E com isso por vezes nos esquecemos de olhar e questionar a verdade que nos foi apresentada e a colocamos como uma verdade absoluta.

Compreender o impacto das ações advindas de um racismo estrutural acarretando a uma ação de racismo religioso é fundamental para compreensão do que realmente impacta e destrói nossa sociedade.

O interesse com esta proposta é que se compreenda a dimensão do racismo religioso, fenômeno este desconhecido nessa faixa etária e buscar suscitar nos educandos ações de empatia e alteridade.

Objetivos:

  • Compreender o conceito de racismo religioso.
  • Analisar os impactos do racismo religioso a toda sociedade.
  • Refletir sobre ações que possam combater o racismo religioso.

Metodologia

Como é um tema polêmico e passível de interpretação equivocada, propor aos alunos que reflitam sobre como a religião deles é vista em sociedade. Alguém já disse que sua religião é do mal ou te excluiu por você acreditar neste Deus? Como você se sentiria se alguém dissesse que sua fé é do mal?

Após a partilha de pensamentos solicitar que os alunos analisem as reportagens expostas no telão. Para tal selecionar reportagens atuais que tenham como tema o racismo religioso.

Apresentar ainda os dados sobre os índices de violência e discriminação religiosa sofrida pelos negros em nossa sociedade.

Questionamentos instigadores.

  • Por que a religião dessas pessoas é discriminada?
  • O que é necessário fazer para que não haja esse tipo de discriminação?
  • Conhecer essas maneiras de crer ajuda a minimizar a discriminação?
  • Por que esse tipo de discriminação é interpretado como racismo religioso?

Para enriquecer a discussão mostrar o vídeo: #Bom Saber: Racismo Religioso 

Para aprofundamento do professor

 Tratar sobre a pauta racial em sala de aula é um trabalho delicado e é fundamental analisar o lugar de fala em que se ocupa para trazer tal assunto, se na turma tem algum aluno negro e deixe que ele detenha o lugar de fala dele como protagonista deste espaço. A proposta apresentada tem o cunho científico informativo, visando apresentar aos discentes dados e informações sobre a temática, ao buscar reportagens e informações sobre o assunto vise uma busca mais científica possível.

Mostrar para os alunos que a chave para erradicar a discriminação é o conhecimento é um ponto importante também. Entender que não existe uma única verdade absoluta no campo religioso e que são várias verdades para as várias culturas é fundamental.


Referências

MOREIRA. Adilson. Racismo recreativo São Paulo: Sueli Carneiro, Polén 2019.
RIBEIRO. Djamila. Lugar de fala. São Paulo: Sueli Carneiro, Polén, 2019.
VAZ. Lívia Sant`Anna. Porque o racismo religioso tem terreno fértil para prosperar no país. Carta Capital. 21 de janeiro de 2019. Disponível em: <www.cartacapital.com.br>.

SEJA ASSINANTE APOIADOR(A): Apoie a produção de conteúdo gratuito

APOIE A SENSO
Inscreva-se na newsletter da Revista Senso e receba as novidades exclusivas em seu e-mail!