Now Reading
Terra sem pecado: documentário de egressos mostra realidade de indígenas LGBTQ+

Terra sem pecado: documentário de egressos mostra realidade de indígenas LGBTQ+

O documentário Terra Sem Pecado é o trabalho de conclusão de curso do jornalista Marcelo Costa, baseado na pesquisa: Homossexualidade Indígena e LGBTfobia no Brasil: duas faces da mesma moeda, de 2019.

Em entrevista para Senso, o autor indígena ressalta que a pesquisa  “aborda as vivências dos indígenas LGBTS que sofrem discriminação dos próprios parentes dentro das comunidades, revelando um comportamento que foge às suas próprias tradições, haja vista que a diversidade de gênero já era presente entre os indígenas antes do processo de colonização. E, quando esses indígenas LGBTs saem das próprias aldeias para as cidades, muitas vezes por serem expulsos ou para fugir de ataques, acabam sofrendo duplo preconceito, por serem indígenas e LGBTS”.

“O documentário identificou o surgimento do preconceito sexual, a partir de dados históricos e relatos de indígenas. Em pesquisa realizada, foi encontrada a obra intitulada ‘Viagem ao norte do Brasil” escrita pelo Padre Capuchino francês, Yves D’Ereux (1974, p.90), que ocorreu entre os anos de 1613 e 1614 (Voyage au nord du Brésil), onde o índio TIBIRA (homossexual), de etnia Tupinambá, pode ser considerado a primeira vítima de LGBTfobia no Brasil.

O caso ocorreu após a vinda de uma embarcação francesa, que trouxe quatro missionários da Ordem dos Capuchinos, que se instalaram no litoral maranhense e executaram o índio homossexual poucos meses da sua chegada ao Brasil.

 leia também

Depois de julgado pela inquisição e condenado à execução, ele foi amarrado à boca de um canhão e teve seu corpo partido ao meio.” (Fragmento do documentário 18min08s)