O drama dos refugiados

O drama dos refugiados
10 de maio de 2018 Valeska Freman B. Freitas Silveira

O drama dos refugiados

A questão da incoerência entre valores cristãos e a prática da intolerância de alguns países europeus

Elaborado pela Profa. Valeska Freman B. Freitas Silveira

Classificação: Ensino Fundamental II e Ensino Médio

© Freedom House

© Freedom House

Justificativa

Diante dessa triste realidade que estamos acompanhando com relação à situação dos refugiados oriundos de diferentes localidades, consideramos ser nosso dever enquanto educadores desenvolvermos essa temática com nossos alunos. Cotidianamente, temos presenciado cenas sobre a dramática situação de milhares de refugiados e imigrantes, que desesperados tentam, por todas as vias, entrar clandestinamente em diferentes países da Europa. Infelizmente, observamos, também, que muitos desses países, formados por uma maioria cristã, liderados por chefes de Estado assumidamente cristãos, têm virado as costas para esta população, por considerá-la uma ameaça capaz de desestabilizar tanto a economia quanto a segurança nacional em seus países. Nesse sentido, nosso trabalho procura problematizar exatamente este descompasso entre o descaso e até mesmo repúdio de alguns grupos pertencentes à comunidade cristã européia, com relação aos refugiados e imigrantes e os valores verdadeiramente cristãos. Acreditamos que os alunos ao se aproximarem um pouco mais da caótica realidade de jovens refugiados, com idade muito próxima a deles, se sentiram mais comprometidos com essa situação e motivados a realizarem práticas humanitárias que possam contribuir para melhorar as condições de vida desta população.

Objetivos

  Identificar alguns valores religiosos do cristianismo.
  Refletir sobre a situação dos refugiados e a prática da intolerância.
  Identificar as contradições entre alguns cristãos e suas práticas de intolerância.
  Reconhecer a importância da superação das práticas de intolerâncias.
  Comprometer-se com construção de uma cultura de solidariedade e paz.
• Compreender curtas e animação como fontes de pesquisa.

CONTEÚDO

• Valores religiosos do Cristianismo
• Estudo de caso: Refugiados
• Contradições entre práticas de intolerância em alguns grupos cristãos.
• Documentários e música sobre refugiados.
• Direitos Humanos.
• Preconceito e discriminação.

MATERIAIS

• Seleção de curtas que abordem a questão dos refugiados.
• Mapas da Síria e dos países em que os refugiados têm procurado abrigo.
• Seleção de passagens bíblicas que apontem como tratar o estrangeiro, migrante, refugiado (material impresso).
• Clip da música “Diáspora” – Tribalistas (material impresso)
• Projetor multimídia.
• Papel pardo (para fazer o mural)

Metodologia

Primeiro momento: Motivação

Apresentar aos alunos o tema que será tratado “O drama dos refugiados: a questão da incoerência entre valores cristãos e a prática da intolerância de alguns países europeus”. Explicar que este será desenvolvido a partir da análise de curtas de animação, música e passagens bíblicas.

Converse com os alunos a respeito do cinema. Pergunte quais os estilos de filmes que mais gostam de assistir. Avise-os que irão assistir um curta no estilo: animação e documentário. Pergunte se conhecem esses gêneros, o que já assistiram, se gostaram. Retome com os alunos as características desses estilos se considerar necessário.

Segundo momento: Assistir a série de curtas

Convide-os a assistir a série “Contos que Não São de Fadas”, uma série criada pela Unicef.

Apresente informações sobre esse projeto criado pela Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância), com a participação de voluntários brasileiros. Explique que as animações foram inspiradas em histórias reais de três crianças refugiadas; que o projeto nasceu com o objetivo de divulgar e alertar sobre a crise humanitária na Síria e os abusos contra menores de idade; que além disso, o projeto buscou incentivar a prática de ações solidarias a crianças, jovens refugiados e migrantes, na busca por melhores condições em suas vidas.

Exiba a Série “Contos que Não São de Fadas”.

Depois da exibição, divida a sala em grupos e solicite que façam registro no caderno, das impressões causadas pelas animações. O que acharam? Quais sentimentos que as histórias provocaram neles? Qual a história que mais os tocaram? Por quê?  Se compreendem o contexto em que vivem as crianças? O que gostariam de perguntar para as crianças?

Pedir que os alunos apresentem suas considerações.

Terceiro momento: ampliando a visão da realidade

Projetar o mapa da Síria e alguns dados sobre essa guerra.

Promover um debate sobre como esses refugiados vem sendo tratados pelo pelos países em que buscam ajuda. Questionar a postura de intolerância e pouco humanitária de líderes políticos e parte da população, assumidos como cristãos, com relação a acolhida de refugiados.

Solicitar que cada grupo pesquise reportagens sobre a questão do acolhimento a refugiados nos países de maioria cristã (Ex.: 1: EUA, presidente cristão e política de intolerância com migrantes e refugiados). A pesquisa deverá ser apresentada em cartaz.

Antes das apresentações das pesquisas, convidar os alunos a acompanharem o clip da música “Diáspora”, dos Tribalistas.

Projete a música sem nenhuma orientação, apenas peça para que ouçam com atenção.  Depois, peça que partilhem o que acharam da música; se observaram alguma relação com o tema trabalhado, se relacionaram com a série de curtas “Contos que Não São de Fadas”.

Após a partilha da música, oriente para que os grupos se reúnam com suas pesquisas. Entregue para os alunos uma lista com algumas passagens  bíblicas que apontam como devem ser tratados os imigrantes, os refugiados e aqueles que necessitam de ajuda. Peça para que estabeleçam um paralelo entre as pesquisas sobre a postura de intolerância de países de maioria cristã, as passagens bíblicas e a música “Diáspora” (oferecer a letra impressa para os alunos). Peça para que desenvolvam um texto crítico sobre essa incoerência entre os valores cristãos e a prática de alguns cristãos e anexe ao trabalho de pesquisa.

Exemplos de passagens bíblicas que retratam a questão:

Lv 19.33-34, Lv 25.9-10, Dt 10.18-19, Ezequiel 16.49, Ex 23.9, 1Rs8,41-44, Jó 31,32, Mt 25,35-36, Lc10. 29-37.

Após a reflexão nos grupos, os alunos poderão apresentar suas considerações para toda a turma.

Expor os cartazes e textos no mural da escola, publicar os textos no jornal ou site da escola.

Finalizando o projeto

Convidar os alunos a elaborarem um projeto de ajuda humanitária a grupos de refugiados. Desenvolver o projeto e convidar toda a escola para participar.

Os alunos poderão, como sugere a própria Unicef ao final da série, gravar vídeos com mensagens para crianças e jovens refugiados.

Sugestões de atividades interdisciplinares

• Geografia e História – conflitos na Síria, questão geopolítica.
• Literatura – Biografia de refugiados.
• Redação- tema de vestibulares sobre refugiados
• Inglês: Jogo online e gratuito desenvolvido pela ONU reproduz vivências e acontecimentos da atualidade, oferecendo conteúdos e atividades didáticas sobre o tema. (www.playagainstallodds.ca)

Sites

www.jornalistaslivres.org
www.nacoesunidas.org
www.acnur.org