Pertenças religiosas juvenis na escola

Pertenças religiosas juvenis na escola
19 de novembro de 2017 Sandson Rotterdan

Pertenças religiosas juvenis na escola

Elaborado pelo Prof. Sandson Rotterdan

Classificação: Ensino Fundamental II e Médio

Justificativa

É comum a afirmação de que a juventude é o futuro, no entanto a juventude é juventude no presente, e atua socialmente no tempo que se chama hoje. As religiões, de maneira geral, priorizam o seu trabalho com as juventudes, mas não é raro que os jovens, influenciados pelos líderes religiosos, tenham atitudes de intolerância.

Dessa forma, é fundamental discutir na sala de aula, as manipulações que as religiões podem trazer para os jovens e também as contribuições das mesmas para a construção de seus projetos de vida. Aqui é importante também que os jovens consigam discutir com os outros as suas pertenças religiosas e abrir-se a dialogar.

Objetivos

  • Reconhecer a diversidade religiosa;
  • Relacionar juventudes e religiões;
  • Analisar a influencia da religião na vida de jovens

Metodologia

1 – Fazer um censo sobre pertença e valores  religiosos na série: Divida os alunos da série em grupos. Cada grupo elabora uma questão fechada que deverá ser perguntada aos entrevistados. Não esquecer de perguntas, como, por exemplo, idade, religião, sexo. Pode sugerir também que os alunos façam perguntas acerca de Estado Laico, legitimidade das bancadas religiosas em legislar a partir de valores religiosos.

2 – Um outro grupo de alunos pode ficar na tabulação dos resultados. Talvez aqui fosse importante dialogar com a cadeira de matemática, o que daria um caráter interdisciplinar à atividade.

3- Em sala de aula, analisar os dados com os alunos. Qual a pertença religiosa declarada pelos jovens? Os valores religiosos influenciam seus valores pessoais? Os jovens percebem a influencia da religião no Estado? Os jovens consideram importante a religião influir na vida pública? – (De acordo com as questões elaboradas pelos alunos pode-se fazer outras provocações para se analisar os dados)

4- Após esta análise, pedir aos jovens que escrevam um texto dissertativo em que possam registrar as análises feitas. Aqui se pode fazer uma parceria com as disciplinas de língua portuguesa ou de Produção de Texto.

5 – Ao final, os textos dos alunos poderiam se transformar em um e-book a ser divulgado para toda a comunidade escolar, que pode gerar ulteriores debates.